PROJETO FARMÁCIA VIVA RECEBE PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIA SOCIAL

Em 2008, o Instituto Kairós recebeu por sua iniciativa Farmácia Viva, o Prêmio FINEP de Inovação em Tecnologia Social na regional sudeste, cujo objetivo foi premiar projetos exemplares de organizações sem fins lucrativos que apresentassem a maior inovação no desenvolvimento e na reaplicação de tecnologias sociais. Para o desenvolvimento deste projeto, o Instituto conta com a parceria da Secretaria de Saúde da Prefeitura Municipal de Nova Lima, MG, e da Ação Cultura e Saúde do Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura em parceria com o Ministério da Saúde.

Para a ampliação das ações do projeto, em 2010, será firmado um convênio entre a FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia), a Prefeitura Municipal de Nova Lima, a FUNDEP (Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa) e a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), que juntas destinarão recursos financeiros para o desenvolvimento de um arranjo educativo produtivo solidário com foco na implantação e sustentação do serviço de fitoterapia no SUS (Sistema Único de Saúde), consolidado por uma rede colaborativa de desenvolvimento social. O prêmio subsidiará, ainda, as atividades do projeto e a construção de um laboratório fitoterápico em Macacos, Nova Lima.

A partir da aliança entre medicina tradicional e conhecimento científico, neste laboratório serão produzidos medicamentos fitoterápicos, validados pelo SUS e pela ANVISA, de acordo com a política nacional de plantas medicinais, para distribuição gratuita à comunidade de Macacos, numa ação integrada ao SUS, através do Posto de Saúde local e do Programa Saúde da Família.

O objetivo do Instituto Kairós com o desenvolvimento desta tecnologia social é fortalecer o saber tradicional e a rede de raizeiras e benzedeiras das localidades envolvidas, garantir a segurança na produção de medicamentos naturais, bem como ampliar e articular na região, um arranjo produtivo local que garanta a produção das matérias-primas e a geração de renda para grupos autônomos produtivos.

O planejamento da Instituição é iniciar a construção do laboratório fitoterápico e a estruturação do arranjo educativo produtivo solidário (coleta seletiva de resíduos, plantação em hortas comunitárias, quintais produtivos, viveiros de mudas e estação de secagem das ervas) no primeiro semestre de 2010, quando os recursos da FINEP serão liberados pela FUNDEP. Com o andamento do projeto, pretende-se estender o seu atendimento a outras comunidades do município de Nova Lima, como a região de Honório Bicalho e Jardim Canadá, abrangendo uma média de 30.000 habitantes.

Depois de sistematizado, o Projeto Farmácia Viva poderá vir a ser reaplicado em outros territórios e realidades socioeconômicas do país: uma tecnologia social que repercutirá não só na saúde, mas produzirá impactos culturais, econômicos, ambientais, políticos e técnico-científicos nas comunidades em que for implantada.